Como usar o indicador IFR (Índice de Força Relativa) na análise técnica

Escrito por adv on 24 de março de 2008 – 14:13 -



O IFR (Índice de Força Relativa) é um indicador extremamente útil se usado em conjunto com outras técnicas da análise técnica para indicar pontos de entrada e saída. Sua função é medir a “força” de um ativo, o que por sua vez, deixa de ser útil quando aplicado em ativos de baixa liquidez ou mercados indefinidos.

Na teoria, tradicionalmente, a literatura nos diz para operarmos comprado quando o IFR estiver entre 20-30 e vendido quando atingir entre 70-80. Mas, essa sugestão nem sempre irá ser frutífera, ou apenas raramente, principalmente se utilizada em escala temporal semanal ou superior.

Como em quase todas ferramentas da análise técnica, cabe o bom senso do utilizador em usá-la em conjunto com as técnicas de suporte (fundos) e resistência (topos).

Para algumas ações é raro o IFR atingir a zona da “degola” compreendida entre 20 e 30. Como no exemplo abaixo, utilizando o gráfico semanal das ações preferenciais do Bradesco (BBDC4), podemos perceber que num período de 8 anos o IFR jamais chegou nos 30 e muito menos em 20. O gráfico mostra que o índice de 40 é uma excelente zona de suporte devido a grande freqüência com que o ativo testa essa área e se recupera.

Por outro lado, a zona de resistência para pensarmos em realizar o lucro é em 70, sendo que, aos mais confiantes, e dependendo do que outros sinais apontarem, talvez seja válido aguardar até os 80, zona que é testada com menor freqüência.

Isso ocorre porque o papel do Bradesco é muito “forte”, tem uma alta capacidade de se recuperar gerando grande liquidez; em geral essa característica ocorre nos papéis “blue-chips”, como outros exemplos, temos os papéis da Vale e Petrobrás.

Concluindo, o uso do IFR pode ser uma excelente ferramenta para encontrarmos pontos de entrada e saída. Para usufluirmos de sua utilidade temos que deixar em segundo plano os índices tradicionais de 20 e 30 para compra, e 70 e 80 para venda, sendo a melhor maneira fazermos a marcação de fundos e topos para verificar quais índices do IFR são testados com maior freqüência.

Obs.: assim como outros indicadores, também é válido para o IFR, as divergências de baixa (operar comprado) e alta (operar vendido).

Não deixe de consultar também, o artigo da Nelogica sobre IFR.

Postado em Bolsa de Valores | 2 Comments »

Leia também:


2 Comentários em “Como usar o indicador IFR (Índice de Força Relativa) na análise técnica”

  1. mockba Diz:

    O site Conexão Dinheiro tb tem um excelente artigo sobre o IFR, vale a pena dar uma olhada.

  2. kasuo maru Diz:

    Achei ótimo,muito facil de assimilar.
    PARABENS !!!

Queremos saber suas idéias. Deixe um comentário =)





© LogDeMSN. Alguns direitos reservados. Licença Creative Commons SA
Este site é rentabilizado pelo programa Google AdSense. Leia a nossa política de privacidade para aceitar a navegação