Otimismo e pessimismo: forças do pensamento?

Escrito por adv on 15 de abril de 2008 – 14:52 -



Muitos acreditam que aquilo que você quer é possível conseguir através de um pensamento positivo. Dizem ainda que o otimismo é fundamental para se conseguir as coisas. Alguns, não satisfeitos, dizem que o pensamento tem que vir do fundo do coração para dar certo (sic) – embora coração aqui tenha um sentido conotativo, alguns acham mesmo que o coração pensa!

Na filosofia, o pessimismo e o otimismo também são temas de discussões. Voltaire vs Leibnz é o duelo que mais gosto. Outro cara que não é bem visto é Schopenhauer, conhecido como o mais pessimista dos pessimistas.

Pessimismo, em geral, costuma ser entendido como um modo de esperar das situações sempre o pior, ou um modo de pensar onde o mal prevalece sobre o bem. Em ambos os casos, o significado soa um tanto pejorativo. – Em tom irônico, gosto de provocar meus amigos instingando-os a pensar no que de errado ou ruim poderá ocorrer quando eles estão pensando no que de bom irá se suceder. Acho que não preciso dizer o que costumo ouvir ;)

O pensamento positivo enquanto condição para alguma coisa ocorrer como o esperado não tem nenhuma relação com o fenômeno. O jogador de boliche que joga a bola pensando que ele vai conseguir fazer strike pode atingir o resultado, mas este será fruto da forma como foi arremessada a bola – direção, força e velocidade -contra os pinos e não porque pensou positivo. Mas alguns resultados obtidos dessa forma pode ser o suficiente para que o sujeito desenvolva um comportamento supersticioso e passe a pensar positivo enquanto condição para obter o desejado. Mas não pára por aqui, o sujeito generaliza o comportamento supersticioso para outras situações.

Se o jogador arremessar 10 bolas, todas pensando positivamente, pode ser que ele consiga um número de strikes menor ou igual a 4, mas irá achar que nas vezes que não obteve sucesso foi porque não pensou com a “força positiva” necessária.

O jogador de boliche aqui foi tomado apenas como um exemplo, mas essa situação ocorre na vida de muitos nas mais variadas vivências. O pensamento positivo ou o otimismo tem relação direta com a fé, no entanto, não necessariamente, no primeiro caso, uma entidade divina poderá estar presente. O sujeito pode acreditar simplesmente que foi a “força do pensamento”, isto é, ele se coloca como o único responsável por seus sucessos ou fracassos, como se houvesse dentro de si uma “entidade cósmica” capaz de girar o mundo ao seu favor.

Uma personagem encontrada em livros infanto-juvenis que costuma ser usada para ironizar aqueles que costumam ver o mundo sempre sorrindo é a Pollyanna. Pollyanna é uma garotinha que só toma porrada da vida mas ela continua fazendo o jogo do contente. Através do jogo do contente ela da um ressignificado às vivências ruins, colorindo-as com alegrias e felicidades. Pollyanna nos diz que: “Muitas vezes me acontece de brincar o jogo do contente sem pensar, a gente fica tão acostumada que brinca sem saber. Em tudo há sempre alguma coisa capaz de deixar a gente alegre; a questão é descobrí-la.” – De fato, as atitudes de Pollyanna são impensadas.

Expressar sentimentos de instatisfação pode ser tão legítimo quanto vivenciar o bem-estar. No entanto, a sociedade nos exige que estejamos sempre sorridentes e felizes, preparados para esperar sempre o bem. A beleza até chega ser confundida com felicidade, nos fazem acreditar que pessoas bonitas não experienciam o mal-estar. – O resultado já sabemos, são relações sociais completamente artificiais ou líquidas*.

Assim, adotar uma postura pessimista diante de uma situação pode ser tão válida quanto a postura otimista. Se sou apenas pessimista posso estar fechando às portas que convidam o outro para dialogar, se sou apenas otimista posso ficar sem ações ao ser surpreendido por algo que não pensei antes.

De qualquer forma, nem pensar positivamente ou negativamente irão fazer as coisas acontecerem. Otimismo e pessimismo não são qualidades nem defeitos, e muito menos designam entidades cósmicas que giram o universo ao nosso favor. São apenas palavras com significados construídos socialmente para designar determinadas formas de se posicionar frente às vivências.

* conceito de Zygmunt Bauman

Postado em Filosofando | 3 Comments »

Leia também:


3 Comentários em “Otimismo e pessimismo: forças do pensamento?”

  1. O pessimismo como virtude na bolsa de valores | LOG de MSN Diz:

    […] Recentemente, fiz breves considerações sobre pessimismo e otimismo, na ocasião, a intenção era desmistificar os conceitos que muitas vezes são apontados enquanto elementos que determinam os nossos fracassos e sucessos. (Consulte: Otimismo e pessimismo: forças do pensamento?) […]

  2. Anônimo Diz:

    o dinheiro dar o livro mais nao dar a sabedoria

  3. sirlei Diz:

    Dizem que eu sou pessimista eu não acho,eu me considero realista pois vejo o obvio das situações e na maioria das vezes acontece, eu gosto de ser assim tem o seu lado ruim é claro ,mas entre mortos e feridos eu sobrevivo,valeu o comentario bjbjbjbj…

Queremos saber suas idéias. Deixe um comentário =)





© LogDeMSN. Alguns direitos reservados. Licença Creative Commons SA
Este site é rentabilizado pelo programa Google AdSense. Leia a nossa política de privacidade para aceitar a navegação